>

Você já deve ter ouvido falar sobre o aumento da adoção das soluções em nuvem nos últimos tempos, principalmente por causa do aumento do trabalho em formato remoto e pela necessidade de acesso aos recursos de computação e dados, afinal, precisamos deles à nossa disposição a qualquer momento, em qualquer lugar.

A computação em nuvem na prática acontece por meio de um provedor de serviço, o qual você contrata para obter os serviços conforme a necessidade da sua empresa, em que você tem os recursos (servidores, banco de dados, aplicações, etc.) com o acesso ao ambiente virtual por meio de dispositivos (notebooks, tablets, PCs e smartphones) via internet, dispensando a necessidade de servidores físicos ou outras partes da infraestrutura física, trazendo mais economia de custos e mais foco na sua empresa . 

Ao escolher os modelos de computação em nuvem você pode optar pela nuvem privada (os recursos são alugados ou adquiridos por uma empresa, permitindo que a empresa personalize os serviços conforme as suas necessidades) e nuvem pública (os serviços são administrados pela empresa terceirizada, onde várias empresas podem utilizá-los), já a nuvem híbrida combina a nuvem pública e privada, como também a infraestrutura local.

Como os modelos em nuvem estão sempre em evolução, nós vamos te deixar por dentro da novidade que chegou com tudo no mercado: a nuvem distribuída! 

Segundo o Gartner, a nuvem distribuída é uma das principais tendências de tecnologia estratégica para 2021, em que os serviços de nuvem podem ser distribuídos para diversos locais físicos, mas o gerenciamento (operações, governança e atualizações) deles fica a cargo do provedor de nuvem pública. 

Assim, é possível administrar, executar e assegurar a segurança dos itens do seu negócio em vários locais físicos apoiado por apenas um serviço.  

O relatório “O Guia do CIO para Nuvem Distribuída” do Gartner aponta que a computação em nuvem distribuída é a primeira forma que insere a localização física dos serviços oferecidos pela nuvem em seu conceito.

“Nuvem distribuída é o futuro da nuvem”

Para entender o impacto desta afirmação, é preciso um olhar voltado para as transformações do cenário tecnológico nos próximos anos, sendo que de acordo com o Gartner: “em 2024, a maioria das plataformas de serviço em nuvem fornecerá pelo menos alguns serviços em nuvem distribuídos que são executados no ponto de necessidade”.

Com o aumento da popularidade da computação de borda e das opções de descentralização, a nuvem distribuída é uma grande aposta, ainda mais como apoio às novas situações que vão surgir, como o uso cada vez maior da IoT, em que a nuvem tem que lidar com cargas de trabalho mais complexas.

Entre os benefícios que a nuvem distribuída traz em sua adoção podemos dizer que você vai aproveitar o que há de melhor da computação em nuvem ao mesmo tempo em que aumenta a expansão e as possibilidades de uso da nuvem.

Quais são as vantagens da nuvem distribuída? 

O Gartner ainda diz que os serviços são partilhados para locais físicos exclusivos e diversos, nos quais os serviços estão mais próximos tratando-se de localização, o que como consequência vai reduzir a latência, melhorar o desempenho por conta da eliminação das complicações causadas por ela, diminuir os custos, além do cumprimento de leis que estabelecem que os dados devem se manter em um determinado local geográfico.  

Eu devo adotar a nuvem distribuída?

Vimos que a nuvem híbrida é o início da próxima geração da computação em nuvem, mas, antes de tudo, como em qualquer estratégia de adoção ou migração da nuvem, é preciso um planejamento desde as suas demandas até o orçamento disponível para investimento.

A computação híbrida atende às minhas demandas ou eu preciso inovar? Quais são as vantagens e os riscos que o meu negócio corre ao adotar esse tipo de nuvem? Qual é o valor que eu estou disposto a investir durante a adoção ou imigração? As respostas dessas questões devem guiar a sua estratégia de nuvem.

Tenha os seus objetivos bem definidos para evitar surpresas no meio do caminho, pois você deseja conquistar resultados melhores e diminuir as falhas, não é mesmo? Direcione as suas cargas de trabalho para o modelo de nuvem mais adequado para elas, escolha com cuidado o seu provedor da nuvem, levando em conta além da confiabilidade, critérios, como custo e qualidade dos serviços que estão sendo oferecidos.

Se você ainda tem dúvidas que os modelos em nuvem podem ser opções excelentes para as suas operações, veja o nosso post sobre os 5 mitos da computação em nuvem e confira as 5 dicas para encarar os desafios de segurança na nuvem.

Para conhecer mais sobre as estratégias de nuvem entre em contato com nossos especialistas. Acompanhe o nosso blog e saiba o que há de novidade a respeito do universo cloud!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *